Linguagem negativa e “NÃO”, por que evitar?

Uso da Linguagem
Compartilhe:Share on Facebook98Share on Google+0Share on LinkedIn0Tweet about this on Twitter

A linguagem é uma ferramenta extremamente poderosa. Se você se comunica oralmente, ou por escrito, a maneira como você se expressa afetará se sua mensagem é recebida de forma positiva ou negativa.

Mesmo quando você está transmitindo notícias desagradáveis, o impacto pode ser suavizado pelo uso do que chamamos de linguagem positiva.

Mas você está consciente do seu padrão de linguagem? Que tipos de palavras você utiliza com mais frequência?

Neste artigo, vamos analisar maneiras de se comunicar de forma mais positiva. Afinal, quanto mais precisa for a linguagem, melhor será o resultado de nossa comunicação!

O funcionamento do cérebro

Para que você tenha uma boa compreensão sobre o que vem a seguir, é fundamental que você saiba que nosso cérebro está continuamente criando imagens mentais. Esta estruturação mental de imagens permite ao cérebro criar relações entre os objetos no espaço físico que nossos sentidos podem detectar.

Existem duas maneiras-chave pelas quais a mente recebe os dados dos sentidos, com os quais criamos essas imagens. Uma é pelo o que vemos, e a outra é a da linguagem que ouvimos.

Vamos ver como usar isso conscientemente para nos comunicarmos de maneira mais clara?

Uma das mais curiosas palavras da nossa linguagem é a palavra “NÃO”.

A curiosidade vem do fato de que, em termos de imagem visual, o cérebro não pode processar a palavra “NÃO”. É como se, dentro da mente humana, a palavra “não” não existisse.

Quando apresentado com um “não”, o cérebro imediatamente cria uma imagem que “não” era para ser criada, isso porque, para saber em que não pensar, precisamos primeiro pensar. Quer um exemplo:

Não pense em um balão azul.

Pense em um balão azul.

Analise as duas frases acima. Em que você pensou quando leu uma e leu outra?

Na mesma coisa, em um balão azul.

Assim sendo, quando queremos obter um resultado, o melhor é nos referirmos ao que queremos, por exemplo:

Em caso de incêndio use a escada.

É muito comum encontrarmos em muitos prédios: “Em caso de incêndio não use o elevador”.

Principalmente numa situação de pânico, é muito mais difícil e demorado pensar primeiro no que não fazer para depois pensar no que fazer. A linguagem mais rápida e que obtém melhores resultados é a linguagem afirmativa; dizer o que deve ser feito.

O uso de uma linguagem negativa

Todos nós conhecemos alguém que, querendo ajudar, nos diz o que não fazer. “Não se preocupe.”, “Não entre em pânico”, “Não fique aborrecido”, “Não acho que você seja chato”. O que fazem, de forma inconsciente, é chamar nossa atenção exatamente para o que não queriam que fizéssemos.

E não pense que são só os outros que fazem isso com você. Utilizar este padrão de linguagem negativa consigo mesmo, é algo que muita gente faz. “Não vou pensar mais nisso” e continuamos pensando, “Não vou comer doces”, só para citar alguns exemplos. Existe a tendência a pensar no que não queremos fazer e, em seguida, muitas vezes, começar a fazê-lo.

Em vez de dizer o que não queremos, podemos dizer o que queremos. Tente isto. Pense em uma frase negativa que você vem dizendo a si mesmo e experimente transformá-la em afirmativa, agora.

Em vez de dizer “Não quero comer doces” ou “Não quero engordar”, tente dizer, “Quero comer comidas saudáveis” ou “Quero emagrecer”. Isso não só é mais agradável como, na verdade, reorienta a sua mente e prepara você para um número maior de realizações desejadas, focalizando as coisas positivas que quer que aconteça.

Alguns exemplos para o dia a dia:

(coloque em local visível até se habituar com o uso)

Em vez de: USE:
Não pense em… Pense em…
Em caso de incêndio não use o elevador Em caso de incêndio use a escada.
Não se preocupe. Fique tranquilo
Não se aborreça. Esqueça
Não esqueça o seu cartão Lembre de retirar o cartão
Não se esqueça de validar o ticket de estacionamento Lembre de validar o ticket de estacionamento
Se beber álcool, não dirija. Se beber álcool chame um táxi.
Nunca tranque o cruzamento. Deixe o cruzamento livre.
Evite trancar o cruzamento. Deixe o cruzamento livre.
Não se preocupe. Fique tranquilo.
Não entre em pânico. Fique calmo.
Não se aborreça. Esqueça, deixe passar.
Não fique aborrecido. Pense em algo agradável.
Não quero comer doces. Quero comer comidas saudáveis.
Não quero comer comidas gordurosas. Quero comer frutas e verduras.
Não quero engordar. Quero emagrecer.
Quero perder peso. Quero atingir o meu peso ideal.
Não pinte esta parede de azul. Pinte esta parede verde.
Não quero perder tempo. Quero aproveitar bem o tempo.
Não quero perder tempo com isso. Quero usar o menor tempo possível…..
Não quero me atrasar. Quero chegar no horário.
Meu filho, não mexa nisso. Meu filho, vá brincar com…
Meu filho, não mexa nisso. Meu filho, pode mexer e brincar com….
Não suba na cadeira. Por favor, sente na cadeira.
Não suba na cadeira. Subir na cadeira é perigoso…
Cuidado para não derramar o copo. Preste atenção no copo, tome cuidado.
É proibida a entrada de menores de … Só é permitida a entrada de maiores de…
Não pise na grama Use os passeios para caminhar
Não fume Mantenha o ar limpo
Proibido fumar Use o fumódromo para fumar
Não coloque o papel no vaso Coloque o papel no cesto ao lado

 

Mudar apenas uma palavra pode ter uma influência significativa no seu pensamento e, portanto, no seu comportamento.

Conscientemente, escolher com cuidado que palavras usar pode parecer estranho no princípio. Essa estranheza é resultado de fazer algo diferente do que lhe é familiar. Faça o teste e mude!

Aplicar um novo modelo de linguagem, é fundamental para obter os resultados que deseja.

Abraços, Katiane


Você gostaria de saber como aumentar seu nível de motivação, equilíbrio e realização pessoal através das palavras? Considere ler o e-book “Sucessologia – Como as Palavras Influenciam no Seu Sucessosetas

Insira seus dados abaixo para receber o e-book!